Saia do lugar comum!

A advocacia tradicional está cada vez mais deixando de ser eficiente, e a pandemia de Covid-19, ao forçar o uso de alternativas de trabalho, potencializou essa realidade.


Muitos falam que a advocacia está saturada e sim, nesse modelo ultrapassado está mesmo saturada! A nova advocacia é dinâmica, multiníveis, abrangente e criativa.


Dados do IBGE, em 2019, mostravam que, para cada 190 cidadãos há 1 advogado, levando em consideração inscritos na OAB, não contando estagiários e suplementares (Diário Oficial da União – 28/08/2019 – 210.147.125 habitantes). Dá para imaginar todos os advogados atendendo a população do modo tradicional (reunião com hora marcada, pessoalmente, contato por telefone e e-mail)? A advocacia moderna já vai muito além disso!


O uso da tecnologia como aliada à carreira é de fundamental necessidade, para quem deseja obter resultados de alto nível, seja em escritório, seja sozinho(a). Manter-se resistente a isso, a meu ver, é teimosia em não admitir que chega o tempo em que tudo precisa evoluir.


E a correspondência jurídica está contida nessa forma nova de advogar (e também de estagiar), afinal, contratar um correspondente poupa tempo, dinheiro e agiliza muito o andamento processual e até a prevenção de ingresso ao Judiciário, na realização das diligências diversas, que englobam atos judiciais, extrajudiciais e administrativos, ainda mais se o profissional está preparado para exercer a função.


Então, se o profissional quer sucesso, diferencial é uma carreira próspera, precisa investir nesse perfil da advocacia moderna. E não é preciso ser jovem advogado, isso vale para todos. Os mais antigos tem total condição de atualização, desde que abram a mente para isso.


Conheça o nosso curso de introdução à correspondência jurídica: 100% on-line, acesso por 1 ano, com certificado.


Saiba mais: www.correspondentepreparado.com.br/65

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Estudar o processo antes da diligência é importante

Um erro que alguns advogados correspondentes cometem é não olhar o processo antes de realizar uma audiência. Esse é um equívoco grave que pode arruinar o caso do contratante e, obviamente, queima